terça-feira, 30 de junho de 2015

TIPOS DE GRAVIDEZ GEMELAR

Na gravidez gemelar, os gémeos podem ser idênticos ou diferentes. No caso dos gémeos idênticos (monozigóticos), estes são resultantes da fecundação de um ovócito por um espermatozóide dando originando um só zigoto (embrião). Este embrião começa o seu desenvolvimento e numa determinada etapa divide-se em dois dando origem a dois bebés iguais. Dependendo da fase em que se dá a divisão do embrião, isto é, se é numa fase inicial (antes do quinto dia de desenvolvimento), os embriões irão ter a sua placenta e o seu saco (gravidez bicorial biamniótica). Se a divisão ocorrer na fase de blastocisto, irá dar-se a divisão da massa celular interna (conjunto de células que dão origem ao embrião) que leva à formação de dois embriões e que irão partilhar a mesma placenta mas com dois sacos amninoticos diferentes (gravidez monocorial biamniótica). Se a divisão do embrião ocorrer após a primeira semana de vida do embrião, os gémeos irão partilhar a mesma placenta e o mesmo saco (gravidez monocorial monoamniótica). Quanto ocorre a separação do embrião após as 2 semanas de gestação (situação extremamente rara), aparecem os chamados gémeos siameses. Os gémeos siameses partilham a mesma placenta e o mesmo saco, e quanto mais tardia for a divisão do embrião, maior a extensão de partes do corpo ligadas entre si. Há situações extremamente complicadas em que os gémeos partilham orgãos podendo comprometer a vida dos bebés no momento da separação.



No caso de gémeos diferentes (gémeos falsos), eles resultaram da fertilização de dois ovócitos por dois espermatozóides diferentes. Terão sempre placenta e saco amniótico diferentes.

Os gémeos diferentes são mais frequentes quando o casal realiza um tratamento de fertilização in vitro. Por um lado porque os ovários da mulher são mais estimulados a produzir mais do que um ovócito e por outro porque a grande maioria dos casais pretende transferir 2 embriões para a cavidade uterina.

A gravidez gemelar é uma gravidez com maiores riscos para as mães e para os bebés e por essa razão, as clínicas que realizam tratamentos de fertilidade deveriam promover ações para incentivar os casais a transferir um embrião de cada vez. Saiba mais aqui.

#gravidez, #gemeos, #gravidezgemelar

2 comentários :

  1. Olá,
    gostaria de saber se ao transferir 2 embriões tipo B, com 8 células cada se há risco de um deles se dividir e dar origem a gémeos siameses? Pelo que percebi do seu texto, é raro, mas nos casos em que são transferidos 2 embriões pode acontecer de em vez de ter uma gravidez de gémeos, poder ser de trigémeos?
    Também gostaria de saber se tem conhecimento do apoio da segurança social nos períodos de baixa em que se tem de ficar em casa após a transferência. Disseram-me no hospital que deveriam ser pagos a 100%, embora a segurança social diga que não. Dizem que tem de ser pagos apenas a 55%.
    Obrigada

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite Sara, como referi no artigo, os gémeos siameses são muito raros pelo que acho que não se deve preocupar. A divisão de um embrião e o aparecimento de trigémeos após a transferência de dois embriões, também não é muito frequente.

      Lamento mas não a posso informar sobre os apoios da segurança social nos períodos de baixa. Pode ser que alguma leitora ou leitor nos possa dar esta informação.
      Boa sorte! Depois venha contar como correu o tratamento.
      Sofia

      Eliminar

Artigos mais lidos