sexta-feira, 4 de abril de 2014

Depois da transferência dos embriões… o que fazer?

Volto a falar do período após a transferência dos embriões para a cavidade uterina. É uma fase complicada em que o casal e sobretudo a mulher não sabe o que fazer. Muitas senhoras perguntam se devem ficar em casa durante o tempo de espera até ao dia do teste de gravidez, se podem caminhar, se têm que ter algum cuidado especial com a alimentação, se é prejudicial o esforço que fazem quando vão à casa de banho pois muitas sofrem de prisão de ventre nesta etapa, etc.

Acho importante que nesta fase a mulher esteja tranquila e não faça nada que a possa deixar nervosa, inquieta, com dúvidas de que isso possa prejudicar o tratamento e sobretudo que mais tarde faça com que se sinta culpada porque o tratamento não resultou.

Em primeiro lugar, devem seguir as recomendações médicas. Se puderem ter uma vida mais tranquila nos dias a seguir à transferência seria o ideal, sobretudo entre o sétimo o e o oitavo dia após a punção dos ovários (essa é a altura em que devia ocorrer a implantação do(s) embri(ão)ões no útero). Mas se não conseguirem seguir estas recomendações também não é o fim do mundo!

Pensem que numa gestação espontânea, nos primeiros dias em que a mulher não sabe que está grávida ela não tem qualquer cuidado com a actividade física e não é isso que a vai impedir de engravidar e de seguir em frente com a sua gravidez. De facto, quando após um tratamento de fertilidade recomendamos à mulher que tenha uma vida mais calma, que não carregue com peso, que não faça actividade física é porque queremos eliminar qualquer efeito que possa ser negativo para o tratamento, por mais que pequeno que ele seja, porque realizamos um tratamento e canalizamos todas as "energias" para que funcione bem. Agora, ninguém se deve sentir culpado porque o tratamento não funcionou porque saiu do sofá ou porque teve que ir trabalhar no dia seguinte à transferência!

Relativamente à alimentação o ideal é terem o cuidado de beber muita água, comer fruta, e muitos vegetais para contrariar o efeito da prisão de ventre produzidos pela progesterona. E sim, a prisão de ventre é algo muito comum durante a gravidez e não é o esforço que se faz na casa de banho que vai fazer com que o embrião saia do útero!

Aproveitem estes dias para relaxar e viver a vida com mais calma. Se tiverem que ir para o trabalho com transportes públicos saiam de casa mais cedo, aproveitem para comprar um par de revistas e sentem-se no sofá a ler no final do dia. Peçam ajuda ao vosso companheiro para fazer o jantar… e sobretudo mimem-se e deixem-se mimar!

Relembro um post antigo onde descrevi os sintomas da gravidez!