quinta-feira, 31 de julho de 2014

O nosso corpo perfeito...

Estamos  no Verão, as pessoas, em especial nós mulheres começamos a preocupar-nos com as gordurinhas a mais. Buscamos ansiosamente pela dieta milagrosa que nos dará um corpo perfeito para poder exibir na praia de preferência de biquíni.

Mas afinal o que é isso de corpo perfeito? Ter as medidas perfeitas? Diziam em tempos 90-60-90 seriam as medidas métricas ideais para um corpo perfeito... e o resto? Sim, o resto não conta? Será que essas medidas são adequadas a todas nós?
Vi esta foto e achei-a o máximo ! Um corpo perfeito para cada desporto!

Fonte: Barbell





















Desde os desportistas que fazem levantamento de pesos, às ginastas rítmicas, bailarinas, nadadores, maratonistas, cada atleta tem um tipo de corpo diferente com peso e medidas distintas que os permitem praticar e sair vencedores nas mais variadas modalidades. Afinal há um corpo perfeito para desempenhar distintos desportos!

E nós? Nós que não somos campeões de nenhuma modalidade desportiva... qual é o nosso corpo perfeito? Será que nos temos que guiar pelas medidas métricas definidas pelo marketing da moda? Eu penso que não... o nosso corpo perfeito será aquele em que nos sentimos bem!

Bjs

#corpoperfeito


terça-feira, 29 de julho de 2014

Organização dos brinquedos das crianças

Chegado o Verão acho que é uma boa altura para fazer limpeza da casa e sobretudo do quarto das crianças! Nesta época aproveito sempre para reciclar brinquedos e roupas. Há muitos brinquedos que os meus filhos já não utilizam e roupa que já não lhes serve e que está em boas condições para dar a outras crianças.

Acho que todas as mães se queixam do mesmo: os filhos acumulam demasiados brinquedos e acabam por não ter tempo de brincar com todos. Ou porque efetivamente os brinquedos estão escondidos e acabam por se esquecer deles ou porque algumas das suas peças se foram perdendo e já não conseguem montar o brinquedo por completo.

Inicialmente comprei um saco grande onde os meus filhos iam colocando todos os brinquedos - o chamado "saco das brincadeiras". Ao inicio pareceu-me a forma mais rápida e prática de guardarem os brinquedos mas recentemente percebi que era um engano. É certo que é uma forma rápida de arrumar o quarto mas os brinquedos ficam todos desorganizados e depois é uma perda de tempo quando querem brincar com qualquer coisa tentar encontrar as várias peças perdidas no "saco das brincadeiras"!

Fonte: IKEA


Uma forma de organizar as peças é guarda-las por categorias em caixas separadas. A caixa da roupa das bonecas, a caixa dos carrinhos, a caixa dos objetos da cozinha, etc..

Acabei por comprar várias caixas e guardar os brinquedos por separado.

Fonte: IKEA


O resultado final é algo semelhante a esta foto:

fonte: creative commons

Os meus filhos adoraram! De repente parecia que tinham um quarto novo com brinquedos novos. Estavam delirantes!

Os brinquedos que já não utilizam e estão em bom estado vão ser doados a uma instituição. Caso desejem fazer o mesmo deixo-vos uma lista de instituições onde poderão doar os bens dos vossos filhos:

1)  CASA DO GIL;

2) ASSOCIAÇÃO CULTURAL DO MOINHO DA JUVENTUDE;

3) CASA PIA;

4) ACREDITAR,

Afinal organizar os brinquedos pode também contribuir para uma boa causa! Boas arrumações!







quarta-feira, 23 de julho de 2014

Doação de óvulos tudo o que sempre quis saber!

Uns 30% dos casais que sofrem de infertilidade necessitam de dadoras de óvulos ou dadores de sémen para poderem ser pais. Infelizmente em Portugal há pouca informação sobre o processo de doação e como tal por vezes demoramos alguns meses até encontrar dadores compatíveis para os casais em tratamento.

O que deve fazer uma mulher que queira doar os seus óvulos?
Ela deve contactar um centro que faça tratamentos de reprodução assistida e que esteja apto para recrutar dadoras.

Quais são os requisitos básicos para doação de óvulos?
- Idade da mulher: igual ou superior a 18 anos e inferior a 35 anos.
- Bom estado de saúde física e psíquica;
- Possuir documento de residência em Portugal válido (ou ser de nacionalidade portuguesa).

Cumpridos estes requisitos, é agendada uma consulta no centro, onde são feitas análises clínicas e laboratoriais obrigatórias e que são da responsabilidade do centro recrutador (isto é, sem quaisquer custos para a mulher). Posteriormente é agendada uma entrevista com a psicóloga do centro para avaliar as condições psíquicas da mulher.

Outros aspectos importantes:

A doação de óvulos é voluntária, de carácter benévolo e não é remunerada (contudo, o centro recrutador, oferece uma compensação estritamente limitada ao reembolso das despesas efetuadas resultantes da dádiva).

A doação é anónima, isto é, nem o casal recetor dos óvulos nem as crianças nascidas resultantes desta dádiva poderão ter acesso aos dados que identifiquem a dadora. Excepto em situações graves reconhecidas por sentença judicial.

Em situação alguma, a dadora é reconhecida como progenitora destas crianças.

As crianças nascidas com recurso a dadores podem obter informação sobre eventual grau de parentesco sem que seja necessário identificar a dadora.

Como se processa a doação de óvulos?

O primeiro passo é a estimulação dos ovários. Esta estimulação tem como objectivo a produção de um maior número de óvulos e consiste na administração de medicamentos injetáveis.

Ao longo desta estimulação, que tem um período variável (10 a 14 dias) dependo de cada mulher, a clinica vai solicitar à dadora que se desloque às suas instalações para fazer um controlo do crescimento dos folículos mediante ecografia e uma análise sanguínea para avaliar os níveis hormonais. O nº de deslocações é variável de mulher para mulher (regra geral são 4 deslocações).

Quando os folículos já estão desenvolvidos, é marcada a punção dos ovários, isto é a recolha dos óvulos. Este processo é feito mediante anestesia local ou sedação e não exige internamento. Passado o efeito da anestesia a mulher está apta a ir para casa. Termina aqui o processo de doação.

Na passada terça-feira foi feita uma reportagem no centro onde trabalho sobre doação de óvulos. Creio que é bastante elucidativa ! Convido-vos a verem!

O processo de doação de óvulos é um processo simples e não coloca em risco a fertilidade da mulher que está a doar e é um passo fundamental para que muitas mulheres possam ser mães.
Se puderem ajudem! Ao doar óvulos estão a doar vida!

ver video: queridas manhãs com Júlia Pinheiro sobre a doação de óvulos

Fonte: creative commons

segunda-feira, 21 de julho de 2014

Reportagem SIC

Na semana passada a SIC esteve presente no centro onde trabalho. Vieram conhecer o laboratório de reprodução in vitro fazer algumas filmagens e tirar algumas fotos. Para entrar tiveram que se vestir a rigor com máscara, gorro e bata. De facto sempre que alguém tem que entrar no laboratório acha imensa piada a toda a indumentária que é necessária! Mas o certo é que ao final de 5 minutos já estão todos cheios de calor e a pedir para saírem dali! :)

Reportagem SIC laboratório fecundação in vitro

Se quiserem saber mais, estejam atentos amanhã à reportagem que vai aparecer no programa Queridas Manhãs na SIC entre as 11h e as 13h!  Quando puder venho colocar aqui o link! 

Bjs e até amanhã!

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Medidas propostas para incentivar natalidade

Parece que o governo e os nossos governantes estão finalmente a dar conta da urgente necessidade de aumentar a natalidade em Portugal. O inquérito à fecundidade apresentado recentemente pelo INE, e os estudos europeus publicados vêm denunciar alguns dos pontos chave onde é necessário atuar para incentivar os casais.

Fonte: creative commons Kudaker 2007

Nesta terça-feira o PM apresentou algumas das medidas para apoiar a família:

Prolongamento da licença de parentalidade: possibilidade dos pais trabalharem em part-time até um ano após terem gozado esta licença e sem qualquer decréscimo no salário.

Revisão de alguns encargos: creches e manuais escolares poderão vir a ter custos mais reduzidos. Taxas de água, resíduos e saneamento especiais para famílias. Criação de um passe de transporte especial para famílias.

Vantagens para as empresas:  isenção da Taxa Social Única (TSU) para as empresas que contratem grávidas e mães ou pais com filhos até aos três anos de idade.

Impostos: redução de 1,5% da taxa de IRS para o primeiro filho e de 2% para o segundo filho e seguintes. Possibilidade de deduzir no IRS os descontos para a Segurança Social suportados pelas famílias que contratem apoio doméstico. Possibilidade dos avós deduzirem despesas de educação e saúde com os netos no seu IRS.

Tratamentos de fertilidade: alargamento dos tratamentos para mulheres até aos 42 anos, medicamentos gratuitos para os casais inférteis.

Se estas medidas forem aprovadas já seria sem dúvida uma ajuda para aumentar a natalidade em Portugal. Resta-nos agora saber quando e se serão aprovadas!

Deixo-vos mais informações de artigos publicados a este respeito:
reportagem da TVI
artigo jornal Público

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Dicas rápidas para um tratamento de fertilidade depois das férias

As férias podem ser um ótimo momento para fazer uma pausa nos tratamentos de fertilidade. Mas essa pausa não significa que se abandonem por completo os tratamentos. Durante esse período é possível mudar o estilo de vida e seguir algumas dicas que poderão ajudar a melhorar a qualidade dos seus gâmetas (espermatozoides ou ovócitos) e assim aumentar as probabilidades de gravidez no próximo tratamento.

DICAS PARA ELA: 

- Se tem excesso de peso, pense em perder alguns quilos. Muitas vezes a simples redução de 5 a 10% do peso corporal podem melhorar a fertilidade da mulher e inclusive permitir que esta engravide espontaneamente! Bem sei que não é nas férias que mais nos apetece fazer dieta, mas pode ser o momento ideal para cuidar da alimentação! Devem fazer várias refeições ao dia (o ideal 6), beber água na quantidade adequada e praticar exercício físico.

- Parem de fumar... ou pelo menos reduzam o tabaco. O tabaco é altamente prejudicial para o nosso organismo e pode alterar também a função reprodutora. Não é em poucos dias de férias que vão notar grandes melhoras mas pode ser o princípio de um grande ação que seria a de reduzir o tabaco ou simplesmente deixar de fumar! Vão ver que o vosso corpo agradece e a carteira também!!

- Reduzam o consumo de álcool




DICAS PARA ELE:

- Fundamental reduzir o tabaco! O tabaco aumenta o stress oxidativo e os danos provocados no DNA dos espermatozoides. Apesar dos espermatozoides demorarem aproximadamente 76 dias em ser "fabricados", qualquer redução no tabaco 3 meses antes de um tratamento de fertilidade é aconselhável! 

- Reduza o consumo de álcool pois este pode ser o responsável pela alteração dos parâmetros espermáticos (reduz a concentração dos espermatozoides e a mobilidade). 


PARA OS DOIS:
Aproveitem para relaxar, e namorar... afinal este pode ser o último verão que passam a dois! :)


Boas férias! 




quinta-feira, 10 de julho de 2014

2013 - ano em que os nascimentos ainda não foram suficientes para aumentar a população

Mais um relatório recentemente publicado pelo Eurostat a referir que Portugal se tornou no país com a taxa mais baixa de natalidade da União Europeia. No ano passado a taxa bruta de natalidade na União Europeia foi de 10,0 nascimentos por 1000 habitantes, e apesar desta taxa ter diminuído (em 2012 tinha sido de 10,4) a tendência da europa continua ser o do crescimento da população. No ano passado, Portugal registou uma taxa bruta de natalidade de 7,9 crianças por cada 1000 habitantes. Foi das taxas mais baixas de sempre!

Estes resultados em nada me espantam!
As políticas sociais de apoio às famílias têm vindo a diminuir. Os benefícios fiscais também.... As leis laborais são cada vez mais complicadas, parece até que existem empresas a "exigir" que as mulheres contratadas não engravidem! Onde é que  nós chegámos?!

Ter um filho hoje em dia é cada vez mais complicado e se por um lado todos esperamos pelo momento de encontrar o equilíbrio emocional e financeiro para constituir família, acabamos por ter filhos cada vez mais tarde. E infelizmente, quanto mais tempo o casal espera, e sobretudo se a mulher só começa a tentar engravidar após os 35 anos, as probabilidades de o conseguir são cada vez mais diminutas. A qualidade dos seus óvulos vai piorando e as anomalias genéticas vão aumentando.

Penso, e espero que haja uma reflexão dos dados estatísticos publicados no nosso país. É importante ouvir as pessoas e saber quais as dificuldades que encontram. Temos que inverter esta situação. O nosso país está a envelhecer e se continuamos assim, o prognóstico é que a nossa população diminua quase para metade em 2060!

De acordo com os dados do inquérito à fecundidade de 2013 apenas 8% da população portuguesa em idade fértil diz que não quer ter filhos... são valores baixos! Ainda há esperança!

No jornal publico podem ver mais dados do Eurostat. Boas leituras!

terça-feira, 8 de julho de 2014

Alguns factos sobre o dia da transferência dos embriões

Os embriões resultantes de um tratamento de fecundação in vitro vão ficar em laboratório durante alguns dias até serem transferidos para a cavidade uterina. Como já referi anteriormente, o número de dias em que esses embriões ficam em laboratório pode ser muito variável. No final, depois de estarem selecionados aqueles que vão ser transferidos para a mulher esta é convocada para ir ao centro de procriação medicamente assistida para que os embriões sejam colocados no seu útero.

Quando finalmente chega o tão esperado dia em que vão ser transferidos os embriões para a cavidade uterina, as senhoras chegam à clinica um pouco nervosas. Deixo-vos umas dicas para esse dia e para desmistificar os medos e receios que possam existir! Espero que vos sejam úteis.

A transferência dos embriões

Como se faz?
A transferência dos embriões para a cavidade uterina faz-se mediante a ajuda de um catéter que é inserido por via vaginal. É um processo geralmente indolor e não necessita de sedação. Dependendo do posicionamento do útero, pode ser vantajoso ou não, a mulher ter a bexiga cheia para ajudar a visualização da cavidade uterina e a entrada do catéter na mesma.
Fig.- nesta figura podem ver qual os aspecto do catéter onde são colocados os embriões (parte inferior esquerda). No centro encontra-se o esquema de como é inserido o catéter na cavidade uterina e uma imagem ecográfica do útero na parte superior esquerda. Na àrea inferior direita da fotografia está representada a saída dos embriões do catéter.
Fonte: creative commons

Quanto tempo demora?
O processo em sim pode demorar aproximadamente 15 minutos. Alguns centros aconselham a mulher a fazer algum repouso depois do procedimento pelo que será o ideal perguntar ao centro onde está a fazer o tratamento quanto tempo vai ter que lá ficar a repousar no final.

A mulher pode viajar depois?
Pode viajar sem qualquer problema. Deve no entanto evitar carregar as malas. O ideal nessas situações é pedir a alguém que a ajude.

Conselhos para o dia da transferência dos embriões:
- Tentem ter um dia tranquilo, sem grandes correrias;
- Nesse dia devem chegar com tempo ao centro onde vão fazer o procedimento;
- Peçam ao marido para vos acompanhar, ou no caso dele não poder estar presente convidem um familiar familiar ou amigo.
- Antes da transferência peçam ao médico para vos explicar todos os detalhes do tratamento. Perguntem-lhe quantos embriões ele vos aconselha a transferir (devem sempre evitar transferir 3 embriões pois os riscos de gravidez múltipla podem ser elevados!)
- Quando forem para casa descansem. Mimem-se. Nesse dia o jantar e a arrumação da cozinha fica por conta do marido!
Para mais detalhes vejam o que fazer depois da transferencia dos embriões.


quinta-feira, 3 de julho de 2014

Menopausa precoce tem solução?

Fonte: creative commons
O diagnóstico de uma menopausa precoce pode ser uma notícia completamente arrasadora para uma mulher especialmente se ela ainda não tem filhos e pensa criar uma família. Muitas vezes o diagnóstico é tardio exatamente por se pensar que a mulher ainda é demasiado jovem.

O que é a menopausa precoce e quais as suas causas?

Em geral é por volta dos 45 – 50 anos que a mulher começa a sentir os primeiros sinais de que está a entrar num período de menopausa (ausência de menstruação). A menopausa é designada precoce quando surge antes dos 40 anos e pode ser consequência de determinados fatores:

- Consumo de tabaco (pode fazer com que a menopausa apareça dois anos antes do esperado);
- Tratamento de doenças oncológicas (quimioterapia e/ou radioterapia que podem provocar lesões irreversíveis nos ovários);
- Remoção dos ovários e/ou do útero;
- Fatores genéticos. Entre os quais alterações no cariótipo, que é o caso das portadoras da síndrome de Turner (cariótipo 45X ) que apresentam uma ausência total ou parcial de um cromossoma X. Por outro lado as mulheres que têm um historial de menopausa precoce nas suas famílias têm maior probabilidade de vir a sofrer do mesmo problema.

Como saber se já chegou a menopausa?

Os primeiros sinais da menopausa são:

- Ausência de menstruação durante 12 meses consecutivos;
- Ondas de calor acompanhadas de transpiração, tonturas e palpitações;
- Perturbação do sono devido a suores noturnos;
- Depressão ou irritabilidade;
- Secura da mucosa vaginal, diminuição da líbido, entre outros.

A mulher pode sentir todos estes efeitos como pode sentir apenas alguns. O importante é consultar o seu médico para ele poder confirmar o diagnóstico.

Uma mulher que está em menopausa pode ser mãe?

Felizmente hoje em dia é possível uma mulher que entrou em menopausa ser mãe graças à utilização da fertilização in vitro e a ovócitos de uma dadora. Nestas situações, mediante uma tratamento hormonal e um controlo médico para otimizar as condições uterinas é possível a obtenção de gravidez.
Nestas situações em que há doação de ovócitos as probabilidades de gravidez são geralmente elevadas!

A menopausa precoce não tem solução, mas existem soluções para uma mulher ser mãe após a menopausa! Informem-se!

#menopausa, #menopausaprecoce, #infertilidade


quarta-feira, 2 de julho de 2014

A FESTA DA FAMÍLIA - BARRIGAS DE AMOR

É com enorme alegria que venho divulgar este grande acontecimento no qual participo desde 2009, ano em que fui mãe pela primeira vez. Na altura visitei o espaço por intermédio do centro onde realizei as aulas pós-parto e devo dizer-vos que adorei! Gostei imenso das atividades e das formações organizadas e por isso venho dizer-vos para reservarem já o dia!

A 8ª Edição do BARRIGAS DE AMOR é já no próximo domingo, 6 de julho, e é dedicada à natalidade e à família. Aconselho a todos os pais, futuros pais e aspirantes a pais a visitarem o Parque dos Poetas em Oeiras das 10H às 20H e participar neste evento dedicado à Natalidade e Família! E claro, não se esqueçam de trazer a vossa família!

Como sempre existirá um programa variado cheio de atividades formativas mas também de muita diversão!

Aproveito também para vos informar que nesse mesmo dia, irei dar uma palestra às 19h, juntamente com algumas colegas do centro de fertilidade onde trabalho e iremos falar sobre os tratamentos de fertilidade. Não faltem!



terça-feira, 1 de julho de 2014

Inquérito à fecundidade 2013 - INE

Mais um inquérito à infertilidade realizado pelo Instituto Nacional de Estatística que retrata o cenário negro (desculpem a expressão mas é verdade) em que Portugal se encontra. Portugal é o país da União Europeia com menos nascimentos. Cada vez nascem menos crianças no nosso país e cada vez as pessoas atrasam mais o projeto de parentalidade.

Quais as razões? Interessante verificar que a grande maioria dos portugueses não tem mais filhos porque não quer (e não porque não pode). A população mais jovem pensa que é preferível ter só um filho para lhe dar mais oportunidades. Por outro lado as mulheres dizem que não querem ter mais filhos por motivos económicos (67%), dificuldade em encontrar emprego (48%) e já não ter idade para tal (39%). Para os homens os motivos para não querer aumentar a família são praticamente idênticos à exceção de que alguns (38%) não querem ter a responsabilidade de ter um filho.

Será que deveriam existir incentivos para a natalidade? Mais de 92% dos inquiridos independentemente do género ou idade respondeu que sim. Referindo também que as medidas mais importantes seriam a o aumento do rendimento económico familiar (incluindo a diminuição dos impostos, aumento de subsídios de alimentação, educação e saúde) e facilitar as condições de trabalho para os casais com filhos (por exemplo: redução de horário, horário mais flexível).

Uma das boas notícias deste inquérito é que apenas 8% dos inquiridos refere não quer mesmo ter filhos.

Este estudo vem reforçar o estudo europeu que diz que Portugal é o pais que menos ajuda as mães. Uma vez mais se observa que a grande maioria das pessoas se queixa da falta de políticas de apoio à criação de família, mas dado que ainda temos uma grande percentagem de população com vontade de criar/ aumentar a família, creio que ainda vamos a tempo de inverter a situação! Torna-se urgente atuar!

Fonte: creative commons

No jornal Público foi também publicado um artigo sobre esse inquérito. Se quiserem leiam mais!

Como foi realizado o inquérito:
Entrevistas presenciais entre 16 de janeiro a 15 de abril de 2013
Idade dos inqueridos: Mulheres 18 - 49 anos e Homens 18 - 54 anos
Inquérito realizado pelo INE (Inquérito à fecundidade 2013)