domingo, 11 de junho de 2017

Ser mãe solteira já é possível em Portugal

Atualmente qualquer mulher, independentemente da sua orientação sexual e do seu estado civil, já pode recorrer a tratamentos de procriação medicamente assistida em Portugal.

Até aqui só as mulheres heterossexuais, casadas ou em união de facto há pelo menos 2 anos é que podiam ter acesso a estes tratamentos. Por essa razão, muitas das mulheres solteiras ou casais de mulheres iam ao estrangeiro, principalmente a Espanha para engravidar.


A lei foi aprovada em junho de 2016 (pode ver aqui) mas a regulamentação só surgiu em dezembro do mesmo ano (ver aqui). Desde então algumas dezenas de mulheres já recorreram aos centros de Procriação Medicamente Assistida.

Pelo que se sabe, de momento, dada a existência de listas de espera de alguns meses nos centros públicos, estes tratamentos só foram realizados em centros privados.



Existem vários tratamentos disponíveis, mas deve ser o médico a indicar qual o mais apropriado para cada caso. O mais simples é a inseminação artificial intra-uterina com sémen de dador. Este tratamento consiste em fazer uma suave estimulação dos ovários da mulher e em colocar o sémen na cavidade uterina perto do momento da ovulação. A taxa de sucesso por tratamento ronda os 20% e o tratamento pode custar até 1500 euros. Aconselha-se a fazer no máximo 3 a 4 inseminações uma vez que a partir dai as taxas de sucesso não vão aumentar.

Outro tratamento disponível é a fecundação in vitro. Neste tipo de tratamento a fecundação ocorre fora do corpo da mulher pelo que todo o processo é mais controlado. Pode saber mais aqui. As taxas de sucesso deste tratamento variam consoante a idade da mulher e se a mesma tem algum problema de infertilidade (endometriose, ovários poliquísticos, etc.). Poderá dizer-se que as probabilidades de sucesso rondam os 45%. Os custos deste tratamento são aproximadamente 5 mil euros.

Se tomou finalmente a decisão de querer ser mãe, não espere mais tempo. A idade da mulher pode ser um fator decisivo neste processo. Converse com o seu médico ginecologista, pode ser que ele lhe consiga recomendar algum centro de procriação medicamente assistida. Se lhe indicar mais do que um, compare os preços, mas sobretudo compare os resultados que cada um lhe oferece por tratamento. Afinal, se as probabilidades de engravidar num primeiro ciclo forem maiores pode compensar o preço. Boa sorte! E não desanime caso não tenha sucesso na primeira tentativa!


#tratamentospma; #tratamentomulhersolteira; #fecundaçãoinvitro; #inseminação