segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Como escolher um centro para tratamento de infertilidade

A escolha de um centro para realizar um tratamento de infertilidade pode não ser uma tarefa simples. Há várias condicionantes como a questão económica e a logística que podem ser decisivos na escolha final. A selecção do centro deve ser feita de forma criteriosa e devem ser tidos em conta vários aspectos. Importa referir que todos os detalhes são importantes, e é a combinação de todos que irá permitir que o tratamento tenha mais ou menos sucesso. A meu ver os aspectos principais são:
1) Equipa médica. É importante contar com profissionais experientes na área da reprodução medicamente assistida e averiguar qual a disponibilidade destes profissionais para o caso de surgir uma urgência ou uma dúvida. Na consulta com o médico o casal ter à vontade para esclarecer qualquer tipo de dúvida e é importante também que sinta total confiança no seu trabalho. As consultas devem ser pausadas e esclarecedoras.

2) Profissionais de saúde. Os restantes profissionais de saúde (i.e. enfermeiros, auxilares de consulta, psicologo, etc.) devem ser pessoas disponíveis e também eles capazes de esclarecer as dúvidas que lhes dizem respeito.

3) Equipa de biólogos. Será importante ter uma equipa de biólogos com experiência nas várias técnicas de reprodução assistida e também eles deverão estar acessíveis para responder a dúvidas relacionadas com o processo laboratorial.

4) As taxas de gravidez do centro. É importante que estas taxas sejam facultadas pelo médico responsável e que sejam adequadas a cada caso. Por exemplo, se a mulher tem 40 anos, é importante saber quais as taxas de gravidez no centro para a sua faixa etária. Não se deixem iludir por taxas de gravidez globais (que incluem mulheres de todas as idades) e que portanto podem ser mais altas.
5) Equipamentos disponíveis no laboratório. Que técnicas realizam. Há quanto tempo estão disponíveis. Dispõem de técnicas de última geração? Quais as condições do laboratório, é moderno?

6) Logistica. Para a realização dos tratamentos são necessárias várias idas ao centro o que envolve não só alguns custos adicionais com o transporte mas também algumas ausências no trabalho. É importante averiguar se a distância do centro se justifica ou se existe algum centro mais próximo de casa com iguais condições.

7) Questão económica. Estes tratamentos de facto são bastante dispendiosos e muitas vezes os casais apenas têm em conta o valor de um único tratamento. Oxalá que assim fosse, que todos os casais engravidassem no primeiro tratamento que realizam, mas infelizmente tal nem sempre é possível, e dai referir uma vez mais, que é muito importante perguntar pelas taxas de gravidez do centro em questão antes de optar por um centro mais em conta. Vejam também quais são os procedimentos que estão incluídos no tratamento (por exemplo: inclui ecografias? análises clínicas? congelação dos embriões? )

8) Referências de outros casais. De facto é também importante saber qual a impressão de outros casais que realizaram tratamento no centro em questão. Se tiverem oportunidade aproveitem para lhes perguntar como correu o tratamento, como foram atendidos, se
houve alguma queixa, qual o custo total, se estão contentes e claro, qual o resultado final do tratamento…