sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Amigas descobrem que são filhas do mesmo doador de sémen


Esta notícia vinda dos EUA, relata o caso de duas jovens estudantes que se conheceram através da internet quando procuravam um quarto para iniciarem os estudos na Universidade da Louisiana, e que descobriram que eram filhas do mesmo pai, um dador de sémen colombiano.

Achei importante comentar esta notícia sobretudo para tranquilizar aquelas pessoas que realizaram ou pensam realizar um tratamento com sémen de um dador. É importante que saibam que as leis da reprodução medicamente assistida são distintas nos vários países.

Para evitar casos de consanguinidade, é importante limitar o número de recém nascidos para cada dador e cada país tem as suas normas. Nos EUA, a lei permite que um dador de sémen tenha até 25 filhos por cada área geográfica de 800 mil habitantes. No caso de Portugal a situação é bem diferente e de acordo com as normas em vigor, não há um limite para o número de dádivas de cada dador mas considera-se aconselhável que cada dador não possa dar origem a mais de 8 crianças. Para averiguar esta situação, foi implementado em 2013 em Portugal um sistema de registos que permite o controlo destas doações.

Convém também referir que em Portugal a doação de sémen (e de ovócitos) é anónima, isto é, nem o casal nem as crianças que possam nascer como resultado da dádiva poderão ter acesso à identificação do dador, excepto por "razões ponderosas reconhecidas por sentença judicial". Em caso algum os dadores podem ser reconhecidos como progenitores dessas crianças. 


Como podem ver os números e as leis são bem diferentes...

Deixo-vos o link da notícia amigas descobrem que são filhas do mesmo doador de sémen.

Bibliografia:
 - ASRM (AMERICAN SOCIETY FOR REPRODUCTIVE MEDICINE) - http://www.asrm.org/
 - CNPMA (COMISSÃO NACIONAL PARA A PROCRIAÇÃO MEDICAMENTE ASSISTIDA)-    http://www.cnpma.org.pt/