quinta-feira, 21 de maio de 2015

Alergia ao sémen do marido

Recentemente foi publicado o caso de uma inglesa que se queixava que sentia dores após ter relações sexuais desprotegidas com o marido. Não só tinha dores fortíssimas passadas algumas horas após as relações sexuais, como apresentava também uma grande inflamação vaginal. Este tipo de situações pode ser confundida com os sintomas de algumas doenças sexualmente transmissiveis. Por esta razão o diagnóstico não foi imediado tendo a mulher em questão esperado mais de 10 anos para saber a causa do seu problema: alergia às proteinas presentes no sémen do seu marido.



Não é com frequência que ouvimos falar neste tipo de casos mas a verdade é que não é assim tão raro. Estima-se que 1 em cada 12 mulheres sofram de alguma alergia deste tipo (com diferente manifestação de sintomas) e que muitas vezes acabem por não se queixar pois tem vergonha de comentar a situação com o seu médico.

Os sintomas mais frequentes a nível local são a inflamação vaginal, prurido, ardor, edema e eczema, mas também podem ocorrer outro tipo de manifestações como diarreia, vómitos, dificuldade para respirar, e em situações mais graves incluso, ocorrem reações anafiláticas que podem por em risco a vida da mulher.

A solução para este tipo de alergia é simples: evitar o contacto da mulher com o sémen do marido e como tal o uso de preservativos é recomendado. No entanto, esta questão torna-se mais difícil de resolver quando os casais pretendem engravidar. Apesar desta alergia não conduzir propriamente a infertilidade, em algumas manifestações graves de alergia, a realização de um tratamento de fertilização in vitro poderá ser a solução.

#alergiasemen, #semen, #infertilidade, #fertilidade