terça-feira, 11 de novembro de 2014

Vantagens da transferência de blastocistos

Quando um casal faz um tratamento de Fertilização in vitro, nem sempre é fácil decidir qual o melhor dia do desenvolvimento embrionário em que devem ser transferidos os embriões para a cavidade uterina. Habitualmente os embriões são transferidos ao segundo ou ao terceiro dia de vida (ainda na fase de células). Volto a mencionar este tema porque cada vez são mais os estudos publicados a descreverem taxas de gravidez e implantação mais elevadas quando são transferidos blastocistos para a cavidade uterina. Para aqueles que não sabem ou queiram recordar o que é um blastocisto podem faze-lo aqui. 


Os mesmos estudos que referem que ao deixar os embriões em cultura em laboratório durante mais dias até ao estadio de blastocisto apresenta inúmeras vantagens:

1) Minimizar o tempo de exposição do embrião ao ambiente uterino que foi hiperestimulado
Ao fazer a transferência ao quinto ou ao sexto dia após a punção ovárica permite reduzir a exposição do embrião às hormonas utilizadas durante a estimulação dos ovários. Desta forma o organismo materno tem tempo para ir eliminando estas hormonas.


2) Melhor sincronização entre a fase do ciclo embrionário e o momento da transferência dos embriões para a cavidade uterina 
Recordo que o ovócito é fecundado na trompa de Falópio e depois, ao longo do seu desenvolvimento vai migrar pelas trompas até chegar ao útero. Enquanto se encontra nas trompas o embrião está na fase celular, e quando chega ao útero já está na fase de blastocisto;

3) Melhorar a seleção dos embriões para transferir para o útero materno;
Quantos mais tempo os embriões ficam em laboratório mais informações podemos colher acerca do seu desenvolvimento e portanto temos mais dados para escolher os embriões com maior potencial de implantação.

4) Aumentar a possibilidade de criopreservar os embriões.
Embriões que ao terceiro dia de vida não teriam qualidade para serem congelados, muitas vezes evoluem até ao estadio de blastocisto podendo nessa altura serem criopreservados.


Sem dúvida que a transferência de blastocistos é uma ótima opção de tratamento. Contudo, também apresenta algumas desvantagens - a principal é que muitos dos embriões não conseguem desenvolver-se até blastocisto em laboratório, podendo nessas situações o casal não ter embriões viáveis para transferir.

Converse com o seu médico, e pergunte-lhe se no seu caso valerá a pena deixar os seus embriões em cultura por mais tempo em laboratório.
Boa sorte!

#blastocisto
#transferênciaembrionária