terça-feira, 20 de maio de 2014

O Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa: sim ou não?

Na semana passada assisti a uma formação sobre as regras do Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa e confesso que adorei. Bem, adorar não é propriamente a palavra mais adequada, mas vocês entendem o que eu quero dizer. Eu estava bastante crítica em alterar a minha forma de escrever, mas realmente entendo que a língua é um instrumento vivo de comunicação e para quem está a aprender a língua portuguesa fazem muito sentido as novas alterações. Porquê? Porque se escreve tal como se lê! Já não é necessário obrigar a criançada a decorar que determinada palavra se escreve com um “c” ou com um “p” quando no fundo essa consoante não é lida. Penso que para nós que aprendemos a escrever antes da assinatura do novo Acordo Ortográfico em 1990 (sim, não é assim tão novo!), o  que mais choca é a supressão gráfica das consoantes mudas!

Vejam os exemplos:

Estes são os casos que devem saber e nos quais ocorre a supressão gráfica de consoantes mudas ou não articuladas. 

CC - Escrevia-se fraccionar e seleccionamento e agora as formas corretas são: fracionar e selecionamento

- ação/ acção, reação/reacção

CTata/acta, ativar/activar, diretor/director

PC- anticoncecional/ anticoncepcional

- adoção/adopção

PT ótimoptimo, adotar/adoptar

Quanto mais pequenas forem as palavras maior o “impacto” visual que nos cria, pois a falta de uma letra faz-se muito mais notar! A mim ainda me faz muita confusão escrever óptimo sem “p”…

Achei interessantíssimo saber que, ao contrário do que a grande maioria dos portugueses pensa (eu incluída), o Brasil acabou por aceitar maiores modificações na sua forma de escrever do que Portugal. No entanto, o número de palavras alteradas em Portugal foi maior.

Fiquei a saber que o alfabeto português conta agora com 3 novas letras: o K, W e Y. E que os meses do ano, os dias da semana se escrevem sempre com letra minúscula. Já no caso de títulos de livros, formas de tratamento, logradouros públicos, templos ou edifícios o emprego da letra maiúscula ou minúscula é opcional. Vejam o exemplo:

As Pupilas do Senhor Reitor que também se pode escrever As pupilas do senhor reitor.

Achei também curioso saber que existe a possibilidade de escrever a mesma palavra de duas formas diferentes. Isto porque a forma de pronunciar a palavras nos países luso-afro-asiáticos é diferente da pronúncia no Brasil, dai a forma de escrever as palavras também ser distinta.

Exemplos de como se dizem as palavras de acordo com a:      
                  
Norma luso-afro-asiática                           Norma brasileira

bebé (o último “e” é aberto)                      bebê (o último “e” é fechado)
metro                                                              metrô

Mas não pensem que este é um fenómeno novo. De facto em Portugal já utilizamos dupla grafia para determinadas palavras, é o caso de ouro/oiro ou louro/loiro.

Ainda fica muito por dizer sobre este Novo Acordo, espero ter-vos deixado curiosos e com vontade de o aprender… é que entra legalmente em vigor no final deste ano! Temos pouco tempo para aprender! Mãos à obra! :)

Respondendo à questão: o novo acordo ortográfico: sim ou não? Eu digo SIM! 

A razão deste artigo é para vos avisar que vou passar a escrever segundo este novo acordo. Espero não ter muitas faltas de ortografia, peço desde já desculpas se isso acontecer!