terça-feira, 27 de maio de 2014

MENINO OU MENINA?

Creio que está é uma questão que poucos casais colocam quando estão a fazer tratamento de fertilidade. Quando muitas vezes falamos sobre o assunto, a grande maioria responde: "só queremos que seja saudável, o sexo do bebé não importa."

Fonte: creative commons


O ser humano é composto por 46 cromossomas (a que chamamos cariótipo) incluindo os cromossomas sexuais que podem ser o X ou Y. As mulheres têm um par de cromossomas X no seu cariótipo pelo que se define o cariótipo feminino por 46XX e os homens têm um cromossoma X e outro Y e portanto um cariótipo 46XY. Os ovócitos e os espermatozoides apenas contém 23 cromossomas e um único cromossoma sexual. No caso dos ovócitos todos eles têm o cromossoma X. No caso dos espermatozoides estes podem ter o cromossoma X ou Y. Quando ocorre a fecundação, dependendo se o ovócito é fecundado por um cromossoma X o bebé vai ser do sexo feminino, ou se for fecundado por um cromossoma Y o bebé será do sexo masculino. Portanto são os espermatozoides, e nomeadamente o pai o "responsável" pelo sexo dos filhos.

O cromossoma Y é muito mais pequeno do que o cromossoma X pelo que os "espermatozoides Y" são muito mais rápidos. Por outro lado, os "espermatozoides Y" são menos resistentes ao meio ácido da flora vaginal . Deste modo, se o casal tiver relações depois da ovulação, está a favorecer o nascimento de um bebé do sexo masculino pois em teoria os espermatozoides "masculinos" seriam os primeiros a chegar ao ovócito. Pelo contrário, se as relações sexuais ocorrem antes da ovulação em teoria haverá mais probabilidade de nascer um bebé do sexo feminino.

Há uma minoria de casais que gostaria de poder escolher o sexo dos seus bebés. Em Portugal, não é permitido fazer a seleção do sexo dos embriões a transferir, a não ser quando há histórico de doenças hereditárias que estejam ligadas ao sexo. Deste modo o mistério permanece ao longo de toda a gravidez... menino ou menina?