segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

A ordem do nascimento dos filhos parece estar relacionada com a obesidade

Li recentemente um estudo publicado por um grupo da Nova Zelândia que diz que os irmãos mais velhos têm maior predisposição a ter excesso de peso na idade adulta do que os irmãos mais novos. Este estudo incluiu 50 homens da Nova Zelândia entre os 40 e os 50 anos e com excesso de peso (IMC – índice massa corporal 27.5 ± 1.7 kg/m2 – relembro que o IMC de uma pessoa com peso normal deve ser 19 – 24.5 kg/m2 ). Deste grupo, 26 homens tinham sido o primeiro filho da família e 24 tinham sido o segundo filho da família.

Neste estudo, observaram que os filhos mais velhos tinham menor peso à nascença mas que rapidamente cresciam e ganhavam peso durante a infância, e em geral eram mais altos do que os segundos filhos. Segundo este estudo, o filho mais velho tinha maior resistência à insulina e apresentava tensão arterial mais elevada o que aumentava o risco de sofrer de doenças cardiovasculares e diabetes tipo 2.

Segundo o Prof Cutfield o risco de desenvolver obesidade ou diabetes ocorre quando se juntam vários factores de risco e um deles é o facto de um indivíduo ter nascido em primeiro lugar. Ser o primeiro filho não significa que a criança vá ser diabética ou que vá ter excesso de peso, apenas vai ter um risco aumentado.

No final os autores concluem que de futuro seriam necessários mais estudos que envolvam um maior número de pessoas para poder avaliar melhor a ligação entre a ordem de nascença e a obesidade.