sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Vamos preservar a nossa fertilidade!

A grande maioria de nós não sabe se tem um problema de infertilidade até ao momento que finalmente deseja ter filhos. Infelizmente, esse momento por vezes prolonga-se no tempo ou porque o parceiro ideal não chega, ou porque os estudos ainda não terminaram, o emprego de sonho ainda não chegou, etc. e quando o casal se prepara para finalmente construir família por vezes a idade já não ajuda.

Uma das formas de parar o tempo, neste caso, preservar a fertilidade é congelar os gâmetas (óvulos ou espermatozóides). A congelação é uma técnica que se utiliza há muito tempo e já existem milhares de crianças nascidas provenientes de fecundação in vitro com sémen ou ovócitos congelados e pode ser uma opção para “parar” o relógio biológico. Convém referir que apesar de ser uma alternativa, não é uma garantia 100% segura de gravidez!!! A congelação dos gâmetas depende muito da qualidade dos mesmos! Se os óvulos são de má qualidade provavelmente não irão sobreviver em boas condições quando descongelados, o mesmo se passa com os espermatozóides, embora estes estejam em maior número e portanto em princípio será mais fácil utiliza-los.
A congelação também pode ser recomendada a pacientes oncológicos antes de iniciar os tratamentos de radioterapia ou quimioterapia já que estes tratamentos danificam a fertilidade.

Actualmente a técnica mais utilizada para congelar óvulos é o método da vitrificação. Com este método a taxa de sobrevivência dos óvulos ronda os 85%. Este processo demora aproximadamente 30 minutos e consiste numa congelação rápida dos óvulos, para que tenham uma ideia, os óvulos passam de uma solução que está a 24ºC para o azoto líquido que está a -196ºC em 5 segundos!! 

Deixo-vos um video para que vejam como se faz este processo!