quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

A transferência dos embriões

Chegou o grande dia em que vai ser feita a transferência dos embriões (ou do embrião). Este é um momento especialmente emocionante mas também pode ser angustiante. O casal deve chegar com tempo à clínica para que possa relaxar e com calma preparar-se para o procedimento. Antes da transferência, o médico deverá fazer um resumo de como correu o desenvolvimento dos embriões em laboratório e especificar com maior detalhe as características dos embriões candidatos a transferir. O ideal será ter um ou dois embriões de boa qualidade para transferir e também alguns embriões para congelar, que poderão ser utilizados no futuro, caso o presente tratamento não funcione. A transferência em si é um procedimento relativamente rápido, indolor e que raramente requer anestesia. Em geral não dura mais do que 15 minutos, e quando terminada, a mulher deve ficar deitada mais 15 a 30 minutos.

Quais as recomendações após a transferência dos embriões? 


Muitas senhoras questionam se devem ficar em casa de repouso até realizarem o teste de gravidez, ou se realmente podem fazer a vida normal. De facto não há fórmula mágica e até mesmo o repouso após a transferência dos embriões é algo controverso. Há médicos que recomendam repouso absoluto durante todos esses dias e outros não recomendam qualquer tipo de repouso. O ideal será a mulher evitar realizar exercício físico intenso, ter relações sexuais e carregar com volumes pesados. Se pensarmos nas mulheres que engravidam espontaneamente, elas não tomam qualquer medida especial porque não sabem que estão grávidas! Durante o período de espera pelo resultado do teste, o casal deve agir de forma a criar o mínimo de situações de ansiedade possíveis. Ficar em casa de repouso absoluto poderá causar maior ansiedade na mulher uma vez que vai ter mais tempo para pensar em todo o tratamento. O ideal será prosseguir com a rotina de actividades do dia a dia e tentar abstrair-se o mais que poder do tratamento. O lema é: faça o que a deixar mais tranquila e não deixe de perguntar ao seu médico especialista, lembre-se que cada caso é um caso e ele melhor do que ninguém deverá saber aconselha-la! Boa sorte!