segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Fecundação in vitro


A fecundação in vitro ocorre quando um espermatozóide fecunda um ovócito fora do organismo materno. Em geral, é um procedimento que tem taxas de fecundação aproximadamente de 70% a 80% e cujas taxas de gravidez são superiores à dos tratamentos de inseminação. São procedimentos mais invasivos pois necessitamos de recolher os ovócitos e os espermatozóides e processa-los em laboratório.

- Obtenção dos ovócitos:


1) Estimulação ovárica:

O primeiro passo para a obtenção dos ovócitos é a realização de uma estimulação ovárica, ou seja, a estimulação dos ovários para que estes produzam vários folículos (cada folículo dará origem a um ovócito). Durante este processo, são administradas injecções diárias de hormonas e a mulher deve deslocar-se à clínica de dois em dois dias (a periodicidade varia de mulher para mulher) para ser feita uma ecografia vaginal para que o médico possa avaliar o desenvolvimento dos vários folículos. Durante esta fase também podem ser solicitadas análises sanguíneas para avaliar o nível de estradiol.
Quando um número aceitável de folículos atinge o tamanho médio de 18 mm o médico deve programar a punção. Para tal, deve ser administrada bHCG para induzir a ovulação e a maturação final dos folículos e a punção deve ser realizada 36 horas após a administração desta hormona.

 
2) Punção folicular

Durante a punção folicular, a senhora geralmente está sedada, o médico mediante uma agulha muito fina vai puncionando os vários folículos e os tubos de ensaio contendo o líquido folicular com os ovócitos vão para o laboratório. Uma vez ai, os ovócitos são processados e devem aguardar no mínimo 4 horas para serem inseminados.
Nesse mesmo dia o marido deverá fazer a recolha da amostra de sémen ou deverá dar indicação ao laboratório para utilizar uma amostra de sémen previamente congelada (por vezes é difícil que o marido esteja presente no dia da punção e por essa razão pode congelar previamente sémen).

- Inseminação dos óvulos

 

Os óvulos podem ser inseminados por FIV convencional ou através de microinjeção (ICSI - IntraCytoplasmic Sperm Injection). Na técnica de FIV convencional os ovócitos são colocados numa mesma placa de meio onde está o sémen e a fecundação dos ovócitos ocorre por um processo de selecção natural dos espermatozóides. Na técnica de ICSI é o biólogo quem selecciona os espermatozóides (de acordo com as características morfológicas) para fecundar os ovócitos. É um processo mais invasivo mas que no geral tem taxas de fecundação mais elevadas do que o processo de FIV convencional.

- Fecundação e cultura dos embriões em laboratório

Os embriões resultantes dos ovócitos fecundados são deixados em cultura em laboratório durante alguns dias até serem transferidos ou congelados. Durante esses dias são registados os parâmetros morfológicos dos embriões (número de células, % de fragmentação, simetria das células e multinucleação). No final, de acordo com esses parâmetros e com a divisão celular são escolhidos os melhores embriões para transferir. É normal que alguns embriões não sobrevivam em laboratório e é normal que alguns embriões sejam considerados não viáveis por não apresentarem parâmetros morfológicos normais. Muitas senhoras se queixam que durante o processo de fecundação in vitro o nº de ovócitos e embriões está sempre a diminuir… mas se pensarmos, estamos a fazer uma selecção dos melhores embriões e portanto é normal que alguns embriões não resistam em laboratório. No entanto também temos casos em que todos os embriões são viáveis.

- A transferência

A transferência consiste na colocação dos embriões na cavidade uterina utilizando para tal um cateter. É um processo que pode demorar cerca de 15 minutos e é indolor e como tal não necessita sedação.

- Embriões excedentários
O que acontece com os restantes embriões viáveis que não foram transferidos? Estes podem ser congelados no dia transferência ou então podem ficar uns dias mais em observação no laboratório para verificar se a sua evolução é favorável e se estiverem bem serão congelados num estado de desenvolvimento mais avançado. 
Google+